Mulheres residentes nda Casa Abrigo Lar da Mulher receberam práticas integrativas e complementares (Crédito: André Gomes de Melo)

Mulheres residentes nda Casa Abrigo Lar da Mulher receberam práticas integrativas e complementares (Crédito: André Gomes de Melo)

Tem projeto novo começando! Lançamos nesta quinta-feira (26) nosso Ponto de Luz, iniciativa que leva às mulheres residentes da Casa Abrigo Lar da Mulher e aos colaboradores do RioSolidario o bem-estar e o equilíbrio que auxiliam no enfrentamento dos desafios do dia a dia. Para isso utilizamos terapias reconhecidas pela Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) do Ministério da Saúde, que inclusive são oferecidas pelo SUS de maneira integrada a tratamentos medicamentosos. Nessa inauguração as mulheres que estão acolhidas na Casa Abrigo passaram por uma tarde de relaxamento com Reiki, Geoterapia, Aromaterapia e Musicoterapia.

Práticas utilizadas são também oferecidas no SUS (Crédito: André Gomes de Melo)

Práticas utilizadas são também oferecidas no SUS (Crédito: André Gomes de Melo)

“Quando se tem uma oportunidade de essas mulheres, tão fragilizadas pela vida, deixarem um pouco de lado o que passaram e vivenciarem um momento de tranquilidade e paz, isso faz muito bem para a alma. Acalma, aquieta o coração e, com certeza, permite a elas perceber que existe uma possibilidade de transformação na vida. Isso vem sobretudo por meio de coisas simples: dedicar um tempo a você mesma, se perceber, se sentir. É como se essas mulheres nesse momento tivessem oportunidade de se apropriar de si mesmas e se fortalecer”, avalia a diretora da Casa Abrigo, Sueli Ferreira,

A terapeuta holística Maria da Graça Catanhêde, coordenadora técnica do Ponto de Luz, reforçou a importância de permitir às mulheres práticas integrativas que proporcionam tamanho benefício para a saúde integral e que muitas delas sequer conheciam: “As terapias são muito importantes para mostrar a elas um novo caminho, uma nova visão da vida, inclusive abrindo um leque de possibilidades que elas não tinham conhecimento até então. Além do mais, é uma energia de amor, de cura e transmutação, que só tem a acrescentar e ajudá-las em sua caminhada. A partir do momento que nos dispomos a aceitar o novo, nos colocamos abertos à mudança e ajudamos a nós mesmos.”

Crédito das imagens: André Gomes de Melo