Produtos, doados pela Fierj, foram encaminhadas para duas instituições parceiras do RioSolidario

Doação Fraldas

O RioSolidario recebeu da Federação Israelita do Estado do Rio de Janeiro (Fierj) a doação de 500 pacotes de fraldas geriátricas. Os produtos foram encaminhados para o Lar dos Velhos de Conservatória, distrito de Valença, e para o Centro Integrado da Criança e do Adolescente Portador de Deficiência Professor Almir Madeira, de Niterói. As duas instituições são parcerias da ONG.

– Para nós da comunidade judaica, o ato de doar é muito importante, porque faz parte da nossa cultura e está nos nossos mandamentos. Doar sem saber quem vai usar é ainda mais nobre – ressaltou Paulo Maltz, presidente da Fierj.

A primeira-dama do Estado e presidente do RioSolidario, Maria Lucia Horta Jardim, agradeceu a doação e destacou o trabalho desenvolvido pelas duas instituições contempladas.

– Temos aqui um exemplo concreto de solidariedade e de fraternidade. As duas instituições que receberam as doações fazem um trabalho muito sério e precisam muito de apoio e carinho. Essa parceria nos enche de orgulho – disse Maria Lucia.

O Lar dos Velhos de Conservatória atende hoje 40 idosos. O abrigo, que conta com mais de 20 funcionários, oferece serviço médico, atividades de fisioterapia, alimentação saudável e medicamentos. Segundo Haydée Motta, presidente do abrigo, a doação permitirá que o dinheiro gasto com as fraldas seja destinado a outras necessidades.

– Gastamos 165 fraldas por dia, já que fazemos cinco trocas por dia, o que é muito caro no final do mês. Essa doação vem para fazer com que a gente economize e consiga comprar remédios, materiais e qualquer outra coisa que tenhamos necessidade – declarou Haydée.

O Centro Integrado da Criança e do Adolescente Portador de Deficiência Professor Almir Madeira, instituição vinculada à Fundação da Infância e Adolescência (FIA), atende crianças e adolescentes com múltiplas deficiências. A diretora do abrigo, Maria Angélica Peixoto, também agradeceu a doação.

– Trazemos nosso sincero agradecimento por esse ato de solidariedade e carinho. Temos no Almir Madeira uma realidade dura, com crianças e adolescentes que têm graves problemas de saúde. A maioria é de acamados e pessoas que sofreram violência da família ou algum abuso. É um trabalho árduo, mas gratificante e que fazemos com muito carinho – disse Maria Angélica.

Texto: Gabriela Murno

Fotos: Bruno Itan