Há vagas abertas para as redes Hortifruti e Assaí Atacadista. ONG vai também realizar cadastros em instituições parceiras

PCDs

Pessoas com deficiência (PCDs) têm novas oportunidades para entrar no mercado de trabalho. O RioSolidario está encaminhando jovens e adultos, inscritos no Banco de Talentos, para vagas de emprego em empresas associadas à Associação dos Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (Asserj), nova parceira da ONG.

Nesta quarta-feira (26/10), pessoas com deficiência foram indicadas para participar do processo seletivo da rede Hortifruti. Atualmente, estão abertas 18 vagas para PCDs que tenham de 18 a 50 anos, em lojas distribuídas por diferentes bairros da cidade do Rio de Janeiro. A empresa não exige que o candidato tenha experiência e as inscrições continuam abertas por meio do Banco de Talentos.

Pela jornada de trabalho, em atividades como atendente, repositor, auxiliar de serviços gerais e manipulador de alimentos, são oferecidos salário, alimentação no local, seguro de vida, PLR (participação nos lucros) e vale-transporte. Além disso, após os três primeiros meses de experiência, os contratados passam a ter direito a planos de saúde e odontológico e cesta básica.

– O RioSolidario tem como bandeira a promoção da autonomia à pessoa com deficiência, então, a inclusão no mercado de trabalho é um passo importante. As empresas estão em busca de pessoas dispostas a trabalhar e, na maioria das vezes, não é exigida experiência e a idade também é bem flexível – diz Luciana Rosa, assistente social do programa Futuro Agora.

A ONG está também selecionando PCDs para 64 vagas na rede Assaí Atacadista. A primeira etapa de seleção será realizada em novembro, na sede do RioSolidario. Os interessados precisam ter mais de 18 anos e Ensino Médio completo. Não é exigida experiência. Para participar, basta fazer o cadastro no Banco de Talentos. Há oportunidades para a cidade do Rio de Janeiro, mas também para outros municípios, como Duque de Caxias e Cabo Frio.

Visitas às instituições

Na próxima semana, o RioSolidario fará visitas a quatro instituições (Organização Cultural Alternativa, Ação Cristã Vicente Moreti, Casa Lar Mangueira e Sociedade Pestalozzi do Brasil), para cadastrar pessoas com deficiência e apresentar as oportunidades disponíveis.

– Entre as dificuldades que temos para preencher as vagas, está o medo de perder os benefícios oferecidos pelo Governo, como o BPC (Benefício de Prestação Continuada). Buscamos mostrar que a pessoa deixa de recebê-los apenas enquanto estiver empregada – explica Luciana Rosa.

Texto: Gabriela Murno

Foto: Bruno Itan