Encontro também abordou alternativas para auxiliar as instituições a driblar restrições financeiras

doacao 3

 

Com o objetivo de contribuir para a arrecadação de recursos extras para as Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes ), o RioSolidario, além de realizar  uma reunião para apresentar medidas alternativas que possam contribuir para um retorno financeiro, também doou itens para serem vendidos pelas instituições. O encontro foi nesta terça-feira (06/03), na sede da ONG, e contou com sete instituições da Baixada Fluminense.

A corrente do bem começou com as doações da marca de roupas femininas Bless, que doou peças novas para o RioSolidario. Já as bijuterias e sombrinhas foram repassadas por uma instituição que atua na prevenção e  combate a sonegação fiscal,  contrabando, entre outros.  O RioSolidario, por sua vez, priorizou as organizações sociais que atendem pessoas com deficiência, devido a delicada situação financeira destas instituições, como explicou a coordenadora do Programa de Doações, Mônica Miranda:

– A reunião foi para conversar com as APAEs sobre a situação  que  passam no momento, pois não recebem mais recursos de convênios. Falamos sobre a importância de não ficarem mais dependentes, exclusivamente, de recursos públicos. É necessário criar outras fontes de arrecadação. Os itens doados, por exemplo, podem ser usados em bazares ou almoços beneficentes. Começamos com a Baixada Fluminense, mas queremos atender instituições de outras regiões – destacou Mônica.

Uma das beneficiadas foi a APAE de Japeri, que atende 65 crianças com uma equipe multidisciplinar. O presidente Nilson Conceição explicou como serão usadas as doações:

– Faremos um bazar. O que arrecadarmos vai contribuir para o orçamento da instituição que está defasado. A reunião foi importante pata a troca de ideias. Nos fortalece descobrir a experiência de outras instituições para captar recursos – pontuou.

A Apae de Paracambi  é um exemplo de criatividade, apesar das dificuldades enfrentadas. A unidade desenvolve uma série de atividades para arrecadar recursos, desde bazar e almoço beneficente até a venda de salgados em uma faculdade  local, fabricados pelos próprios atendidos pela instituição.  A reunião ajudou o presidente da Apae, Vicente Gonçalves,  a ter mais uma ideia para ajudar o espaço:

– As doações serão usadas num bazar e com a arrecadação queremos complementar a folha  de pagamento dos funcionários, pois todo mês falta dinheiro. A iniciativa da loja  foi tão importante que vou começar a visitar todas as confecções locais para que possamos fazer um bazar com frequência. No último almoço beneficente, ganhamos quase todos os alimentos, tivemos que comprar só miudeza. A participação da população é muito importante – pontuou o presidente da instituição, que atende 80 crianças.

 

A solidariedade ao invés do lucro

As doações das roupas novas foram iniciativa da sócia da loja Bless, Luciana Malavasi, durante o processo de venda da marca. As opções para se desfazer das peças eram inúmeras e muito rentáveis: realizar um bazar, revender para parceiros ou até mesmo organizar um evento, como foi convidada. No entanto, a alternativa escolhida foi ajudar o próximo. A empresária não se arrepende:

– Achei muito bom e muito gratificante. As peças excedentes sempre doava para funcionários ou fazia bazar para retorno da própria empresa. Mas, desta vez, queria fazer diferente. Queria, de fato, ajudar o próximo – enfatizou Luciana Malasavi, que já têm planos para continuar sua rede de solidariedade na nova empresa que administra, a Fantasia Produções.

 

Apaes beneficiadas

Belford Roxo

Japeri

Paracambi

Nilópolis

São João de Meriti

Nova Iguaçu

Queimados

 

Itens doados:

31 Peças de Roupas Femininas Novas, 10 Sombrinhas, 26 Saquinhos personalizados da Bless, 45 Bijuterias e 01 Relógio de Parede.

Total:  522 itens doados