Projeto ‘Casa Futuro Agora’ quer capacitar 7 mil jovens em 12 comunidades do Rio

Há cerca de dois meses, Flávia Moura, de 17 anos, perdeu uma oportunidade como Jovem Aprendiz numa empresa por não preencher um requisito para a vaga. A exigência era que a candidata cursasse ou já tivesse concluído aulas de Informática no nível básico. Hoje, porém, o resultado do processo seletivo poderia ser bem diferente. Na comunidade do São João, no Engenho Novo, na Zona Norte, ela está aprendendo, por meio do projeto Casa Futuro Agora, a executar tarefas no computador bastante exigidas no mercado de trabalho. E é uma das sete mil jovens que o programa pretende formar, gratuitamente, até o fim do ano que vem, no Rio.

“Na verdade, eu tinha ido em busca de curso de Inglês, mas não encontrei vaga. Aí me abordaram e chamaram para o de Informática. Tem sido bem bacana, aprendi a fazer planilha. Estou no caminho”, comemora Flávia.

O projeto acontece em 12 comunidades da cidade e é voltado para um público entre 12 e 17 anos, em situação de risco e vulnerabilidade social. Só em outubro, serão iniciadas 33 turmas (veja abaixo) de cursos em quatro áreas do conhecimento: Inglês, Cinema, Informática e Poesia.

“O objetivo geral é qualificar e ampliar a visão dos jovens sobre o mundo do trabalho, falando, por exemplo, do mercado audiovisual. Damos ainda um conhecimento básico de Inglês. Apesar desses jovens já terem nascido na era da informática, avançamos. E as aulas de poesia agregam muito nos momentos das entrevistas de emprego, pois o jovem aprende a falar de si e de cabeça erguida”, explica a coordenadora Luiza Teixeira.

Nesta quarta-feira, dia 5, às 14h30, os alunos já atendidos pelo Casa Futuro Agora, que é uma parceria entre a ONG RioSolidario, a Cedae e o Ministério Público do Trabalho, apresentarão resultados dos seus projetos num evento aberto para o público em geral no Teatro João Caetano (Praça Tiradentes), no Centro. Interessados poderão ainda tirar dúvidas sobre o programa.

Extra Extra2