Parte dos brinquedos doados por servidores do Estado foi entregue às crianças

Festa de Natal Sorriso Especial

O sábado (12/12) foi de festa para os cerca de 500 pacientes atendidos pelo programa Sorriso Especial, em Campo Grande. Para encerrar o ano com chave de ouro, a equipe do projeto organizou uma confraternização para as famílias com direito a almoço, recreação e distribuição de presentes. Parte dos brinquedos doados pelos servidores estaduais, durante a campanha Natal Solidário, numa parceria entre a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) e o RioSolidario, foi entregue às crianças e jovens.

– É um momento muito importante para estamos próximos aos pacientes e familiares, fortalecendo essa relação e mostrando que o projeto pertence a eles. Aqui, não só fazemos o atendimento, como damos amor também – disse o cirurgião-dentista Claudio Fernandes, coordenador do programa.

O Sorriso Especial, que funciona no Hospital Estadual Rocha Faria, em Campo Grande, consiste no atendimento odontológico especializado a pacientes – crianças, jovens e adultos – com deficiências como paralisia cerebral, autismo, síndrome de Down, entre outras.

Durante a festa, também foram distribuídas 70 cestas básicas para as famílias. Para Wanderley de Paula, presidente da Associação de Pais e Amigos do Sorriso Especial, a confraternização ajuda na interação com os pais dos pacientes:

– Com as famílias mais perto, podemos saber quais são as demandas das crianças e ajudar a resolver os problemas. Também permite que os pais entendam a importância do projeto, participem e levem os filhos regularmente para o tratamento – ressaltou Wanderley.

O pequeno Eduardo, de 7 anos, que tem síndrome de Down, se emocionou ao ver o Papai Noel e correu para garantir o presente. Segundo a mãe dele, Neide Andrade, de 44 anos, o projeto Sorriso Especial foi fundamental na vida do menino.

– Se não fosse o programa, não conseguiria o atendimento que ele tanto precisava. Estamos sempre no hospital, já conhecemos toda a equipe, que se tornou uma verdadeira família – ressaltou Neide.

Moradora de Realengo, a dona de casa Marilene de Matos, de 48 anos, também comemorou a confraternização. Há seis meses, ela acompanha a filha Tainá, de 14 anos, que tem síndrome de Down, no tratamento com a equipe do Sorriso Especial.

– Fiquei muito feliz com a festa. Esse projeto é muito importante para a minha filha. Ela está fazendo o tratamento e também vai passar por uma cirurgia – contou.

 Atendimento – O quadro de equipes do Sorriso Especial inclui atualmente 11 cirurgiões-dentistas, dois técnicos e quatro auxiliares em Saúde Bucal, uma enfermeira e cinco técnicos de enfermagem. Os pacientes são avaliados caso a caso, e aspectos relacionados às condições de cada um são levados em consideração no sentido de oferecer um plano de tratamento com a opção terapêutica indicada, de forma individualizada.

No Hospital Rocha Faria, o programa Sorriso Especial conta com enfermaria própria com três leitos, que atende pacientes com maior grau de complexidade, sendo o atendimento realizado no centro cirúrgico sob anestesia geral, onde é feito todo o tratamento que o paciente necessitar. Na Unidade Pré-Hospitalar Almir Dutton, o Rochinha, funciona o ambulatório do projeto.

Texto: Fabiane Moreira

Fotos: Bruno Itan