Glauco cursou produção audiovisual na unidade de Sepetiba e se destacou pela dedicação

 

RJ 27-06-2017. Formando Glauco no curso de Audiovisual da Casa Futuro Agora. Fotógrafo: André Gomes de Melo

27-06-2017. Formando Glauco no curso de Audiovisual da Casa Futuro Agora.
Fotógrafo: André Gomes de Melo

 

Após dois meses de curso de produção audiovisual, a declaração de conclusão apresenta o nome: Glauco Vital. Para os mais de dois mil alunos formados pelo Programa Casa Futuro Agora, ter o nome escrito no documento é algo comum, mas, para o fotógrafo de 46 anos, é a comprovação de uma grande vitória: Glauco é transgênero e a declaração do curso foi o primeiro documento institucional com o seu nome social.

Com as logomarcas do RioSolidario, Ministério Público do  Trabalho/RJ e Cedae, responsáveis pelo projeto,  e da Cidadela, que oferece a capacitação, o certificado foi entregue nesta terça-feira (27/06). A demora na entrega do documento foi porque o aluno se recusou a buscar a declaração, pois acreditou que estaria com o nome feminino, que consta em todos seus documentos. Glauco começou a usar nome social meses antes de ingressar no curso em 2016. A iniciativa foi do RioSolidario e da Cidadela, após sugestão  da própria equipe que trabalha na unidade de Sepetiba, onde Glauco realizou o curso.

Acompanhado da esposa, o fotógrafo ficou muito emocionado ao receber o certificado.  Em processo para adotar oficialmente o nome social, o certificado é o primeiro “documento oficial que comprova que eu sou o Glauco”, como enfatizou o fotógrafo:

– É o primeiro documento com o meu nome. Não consigo descrever o quanto é importante para mim. O quanto esperei por este momento. Me sinto reconhecido perante a sociedade – desabafou Glauco.

O fotógrafo destacou que o com o certificado poderá comprovar que tem capacitação profissional na área de audiovisual:

– Agora poderei comprovar que fiz o curso, pois tenho um documento com meu nome. Vai ajudar nas minhas conquistas profissionais – enfatizou o fotógrafo.

O respeito à diversidade foi a motivação para que o RioSolidario adotasse a iniciativa, como pontuou a diretora do RioSolidario, Liliana Pinelli:

– Não é apenas o reconhecimento da identidade, é uma demonstração de respeito. Como projeto social, temos que fomentar o respeito à diversidade e a garantia dos direitos civis a todos – enfatizou Liliana.

A responsável pela Cidadela, empresa que realiza o curso, Viviane Ayres, pontuou a importância da iniciativa:

– Trabalhando na área sociocultural, entendemos que a possibilidade de conquistar, oficialmente, o direito de nos apresentarmos tal como somos é um grande avanço – disse a coordenadora.

O professor do fotógrafo, Daniel de Souza Barreiros, destacou que o  aluno sempre se dedicou:

– Glauco sempre foi muito participativo nas aulas, sempre fez questão de expor suas ideias, opiniões e, principalmente, suas dúvidas. Sua dedicação e compromisso eram bem notados, pois ele  enfrentava quase três horas de trânsito para conseguir chegar nas aulas – destacou o professor.

 

Programa Casa Futuro Agora

A Casa Futuro Agora é um espaço de conhecimentos e preparação de jovens para o mundo do trabalho. Aulas dinâmicas, com conteúdos modernos, reúnem habilidades fundamentais para quem busca uma nova oportunidade. Em 11 unidades, são oferecidos cursos gratuitos de informática, inglês, poesia e audiovisual. Além disso, os locais contam com acesso gratuito à internet para toda a comunidade.

A iniciativa é financiada com recursos oriundos de acordo entre a Cedae e o Ministério Público do Trabalho (MPT-RJ), em ação trabalhista ajuizada pela instituição contra a companhia.

 

 

Texto: Gabriela Hilário

Foto: André Gomes de Melo