Em parceria com a ABBR, morador de Nova Iguaçu também recebeu equipamento higiênico

Jussanaí sorridente com as cadeiras novas na varanda de casa

Jussanaí Alves de Silva tem 48 anos e mora em uma humilde casa no bairro de Austin, em Nova Iguaçu. Aos 19 anos, ele passava por uma praça da região, quando se sentiu mal, desmaiou e precisou ser socorrido para o hospital. Desde então, Jussanaí não conseguiu mais andar sozinho. Foi encaminhado para um abrigo, aposentou-se por invalidez e tornou-se cadeirante. Ao contar a sua história, ele se emociona. As dificuldades, inclusive para falar, são muitas. Jussanaí desconhece o diagnóstico preciso da sua doença e, durante anos, dependeu de uma antiga e precária cadeira de rodas.

Em busca de um novo equipamento, ele procurou o Programa de Doações do RioSolidario. E, graças à parceria com a Associação Beneficente de Reabilitação (ABBR), recebeu uma nova cadeira de rodas e uma cadeira higiênica.

– Eu tentava usar o andador, mas é muito difícil porque eu não mexo as minhas pernas. Quando eu soube que realmente receberia as cadeiras, foi a melhor notícia que tive. Fiquei pensado em tudo o que aconteceu comigo. Mas agora estou muito feliz porque sei que isso vai me ajudar e melhorar a minha vida – disse.

Jussanaí conta que agora poderá sair de casa com facilidade e visitar os familiares. Com o sorriso no rosto, ele garante que tem muitos sonhos e esperança de melhorar ainda mais a sua qualidade de vida. A próxima conquista, segundo ele, será a casa própria. Para isso, ele se inscreveu para receber o Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social, do Governo Federal, que permite o acesso de idosos e pessoas com deficiência às condições mínimas de uma vida digna.

– Só falta mesmo a minha casa. Já dei entrada e estou pagando o plano. Eu quero ter a minha vida, o meu lugar. Quero fazer a minha própria comida. Quero ser independente – revela.

Jussanaí conhece bem o significado da palavra solidariedade e sabe como simples atos podem transformar a vida das pessoas. Apesar das dificuldades, ele garante que está sempre pronto a ajudar quem precisa. A cadeira de rodas antiga, inclusive, já foi doada para um vizinho.

Fotos: André Gomes de Melo