Para alertar sobre a prevenção ao câncer de mama, o RioSolidario realizou um dia de conscientização com palestra virtual da Associação dos Amigos da Mama (ADAMA) e atividades artísticas que auxiliam na autoestima e estimula novos aprendizados para as mulheres vítimas de violência doméstica acolhidas na Casa Abrigo Lar da Mulher.

Único abrigo do estado, o local tem como proposta oferecer amparo emocional, médico e jurídico às mulheres, antes de iniciarem uma nova jornada, com mais segurança e, se possível, inseridas no mercado de trabalho.

Com o apoio de parceiros, a programação contou ainda com oficina de tie dye para as mulheres abrigadas e ateliê on-line para a construção de bijuteria proporcionado pela marca solidária Caçula, que doou também kits para a elaboração de um lindo colar rosa.

“A realização de encontros como esse é muito importante para descontrair, sairmos um pouco da rotina e do foco do abrigo no trabalho de violência doméstica. Além disso, é possível despertar uma habilidade que elas podem levar para frente como uma possível geração de renda”, enfatizou a diretora da Casa Abrigo Lar da Mulher, Sueli Ferreira.

A Casa funciona 24 horas, em local sigiloso, como residência temporária de até seis meses para o público feminino encaminhado por centros de referência de atendimento à mulher, outros abrigos, ordem judicial ou delegacias legais.

 

Colaboradores da instituição também participam do Outubro Rosa 

A equipe que atua na sede do RioSolidario também teve a oportunidade de apoiar o movimento Outubro Rosa de conscientização, prevenção e diagnóstico precoce. Joaquim Paz, voluntário da ADAMA compartilhou a sua história de superação da doença.

‘’É muito importante o autoconhecimento para identificação prematura do câncer de mama, aumentando assim as chances de cura. Atividade física e alimentação saudável contribuem para o cuidado. O câncer mudou a minha vida, tenho certeza que hoje sou uma pessoa melhor e feliz. O apoio que recebi de amigos e da família foi o grande motivador para eu vencer todo o processo, voltar a ter identificação com as coisas simples da vida e a me dedicar ao trabalho voluntário”, contou Joaquim. No homem, o câncer de mama é menos comum, representando 1% de todos os casos.

A ADAMA é uma instituição com o objetivo de acolher, apoiar e tentar contribuir para a recuperação da força e da alegria de pessoas após um diagnóstico de câncer de mama, quebrando a imagem negativa da doença, divulgando um local de boa acolhida e cuidado.

Neste link compartilhamos cartilha de cuidado. Boa leitura!