Parceria entre a Universidade Castelo Branco e Embelleze ajudou no resgate da autoestima e fortalecimento das mulheres

_MG_2207

“Estou me sentindo diferente, renovada. Muitas coisas ruins aconteceram e, aqui, a gente esquece os problemas e começa a se sentir bem. Se sentir mulher de novo.” Entre sorrisos, uma das moradoras da Casa Abrigo Lar da Mulher do RioSolidario, descreveu como estava se sentindo com o “Dia de Beleza”, realizado nesta quinta (08/06), voltado para as mulheres vítimas de violência doméstica.

A sessão de embelezamento aconteceu na sede do RioSolidario e foi uma iniciativa da Universidade Castelo Branco, em parceria com a Embelleze. O objetivo das instituições foi investir no fortalecimento dessas mulheres, através do resgate da autoestima.

A coordenadora da Casa Abrigo, Roberta Rosa, pontuou o impacto que a inciativa tem na vida essas mulheres e a importância no processo de rompimento do ciclo de violência:

– O impacto é imediato, mesmo que elas não reconheçam agora. É a valorização da autoestima, muitas vezes perdida por causa da violência doméstica. Na Casa Abrigo, trabalhamos essa questão, também, de forma pedagógica e, aqui, acontece a concretização de tudo o que é abordado – destacou Roberta.

Em uma ação de motivação e integração dos colaboradores elaborada pela Universidade Castelo Branco, foi proposto aos funcionários a elaboração de projetos voltados ao público feminino, na ocasião do Dia da Mulher.

– Foi uma trabalho muito importante, pois realizamos um debate social na instituição sobre a violência doméstica – explicou Jonathan Santos, responsável pelo setor de Endomarketing.

O projeto vencedor foi o da equipe da funcionária do setor administrativo, Jacqueline Silva, que focou o empoderamento feminino:

– Meu grupo era de cinco pessoas e o nosso projeto era o único que não tinha o viés acadêmico. Achamos que não venceríamos. Foi uma grande conquista, não só pelo prêmio que ganhamos da empresa, mas, principalmente, por trabalhar a questão do empoderamento e resgaste da autoestima. O maior presente foi o sorriso e a felicidade delas – destacou, emocionada, Jacqueline.

Dentro do escopo de aliar ações sociais à prática profissional, a Embelleze aceitou o convite para participar da ação.

– Foi muito gratificante esse trabalho, pois é uma oportunidade de aprendizado para os alunos e ainda ajudar a elevar a autoestima dessas mulheres – pontuou Douglas Freitas, coordenador da área pedagógica da Embelleze.

 

Sobre a Casa Abrigo

 O Lar da Mulher funciona 24 horas, em local sigiloso no Rio de Janeiro, e serve como residência temporária, com capacidade para abrigar 60 pessoas, entre mulheres e crianças. Ações, como grupos de reflexão, atividades lúdicas e relaxamento ajudam essas mulheres a reconstruírem seus laços familiares e de amizade, em geral dilacerados após se afastarem de casa por medo do agressor.

 

Como ingressar na Casa Abrigo

É necessário o contato anterior com os locais que trabalham com a Rede de Proteção à Mulher, são eles: Centro Integrado de Atendimento à Mulher (CIAM), Centro Especializado no Atendimento à Mulher (CEAM), Núcleo de Atendimento à Mulher (NIAM), Plantão Judiciário (CEJUVIDA).

É possível obter o endereço desses locais através do Disk 180 ou através das Delegacias; principalmente das Delegacias Especializadas no Atendimento à Mulher (DEAM).

 

Texto: Gabriela Hilário

Fotos: André Gomes de Melo