Dez alunos da Escola Favo de Mel vão trabalhar na Nova Cedae, em uma parceria da companhia com o RioSolidario e a Faetec

Cedae4

Na Semana de Luta da Pessoa com Deficiência, a primeira-dama do Estado e presidente do RioSolidario, Maria Lucia Horta Jardim, os presidentes da Faetec, Wagner Victer, e da Nova Cedae, Jorge Briard, firmaram parceria para oferecer o primeiro emprego a jovens com deficiência intelectual que estudam na Escola Favo de Mel, unidade da fundação. Atualmente, 70% dos 210 estudantes da escola são capacitados para o mercado de trabalho em cursos como auxiliar de cozinha, contínuo, cumin e serviços gerais.

Os 10 alunos selecionados farão parte do programa Jovem Aprendiz da Nova Cedae, trabalhando, a partir de 5 de outubro, em funções de auxiliar administrativo nas áreas de administração, contabilidade, financeira, informática, comercial e jurídica.

– O RioSolidario abraçou a causa do deficiente. Na Semana de Luta da Pessoa com Deficiência, é importante o Estado ser o promotor de um grande exemplo. Isso é fazer inclusão de verdade, porque o emprego traz autonomia para esses jovens e suas famílias – disse Maria Lucia.

A Nova Cedae vai oferecer transporte para que os jovens cheguem aos seus locais de trabalho. O presidente Jorge Briard lembrou ainda dos outros quatro jovens selecionados pelo RioSolidario, que também vão atuar na companhia.

– Temos muitos desafios a desenvolver. Mas ainda há muito espaço para colocar mais jovens com deficiência na Cedae – acrescentou o presidente da companhia.

O presidente da Faetec, Wagner Victer, também ressaltou a importância de incluir pessoas com deficiência no mercado de trabalho.

– Estamos dando para todos nós a oportunidade de aprendermos a lidar com essas diferenças. Muitas vezes, somos nós que temos medo – destacou ele. Os jovens e adultos com deficiência intelectual da Faetec, futuramente, também serão absorvidos nos 30 mil postos de trabalho abertos nos Jogos Olímpicos de 2016.

Claudio Felipe, de 25 anos, foi um dos 10 jovens selecionados. Ele agradeceu a oportunidade do primeiro emprego.

– Será muito importante para mim. Vou ajudar no que for preciso. Essa oportunidade me dará mais independência e autonomia. Vou poder juntar dinheiro e comprar presentes e roupas sem ter que pedir para a minha mãe – disse Claudio Felipe.

Texto: Gabriela Murno

Fotos: Bruno Itan