RJ 16-01-2017  Seleção Jovem Aprendiz Itau. Fotógrafo: André Gomes de Melo

RioSolidario realiza constantes processos seletivos com jovens cadastrados em nosso Banco de Talentos (Crédito: André Gomes de Melo)

O primeiro emprego é sempre um desafio. Deixar a sala de aula e encarar o mercado de trabalho significa ser colocado frente a frente com uma nova realidade, na qual o conhecimento técnico é só um ponto a ser desenvolvido. A lida com uma nova rotina, a maturidade emocional e a capacidade de relacionamento para trabalhar em equipe também são ingredientes que ajudam a compor a receita da transição para a vida adulta.

Esse foi o processo pelo qual passou Erick da Silva Santos, de 21 anos, morador da Vila da Penha. Ele se cadastrou no Banco de Talentos do RioSolidario e participou do processo seletivo para jovem aprendiz da Ceasa, onde atuou nas áreas administrativa e de logística. Em fevereiro, quando o contrato terminou, ele imaginava que seria o fim da oportunidade, mas a incerteza se transformou em alegria pelo reconhecimento do trabalho bem feito: depois de 11 meses de trabalho na empresa, Erick foi contratado como estagiário.

“Na época do processo seletivo, fiquei bastante ansioso. Corri atrás de alguns documentos que são necessários para fazer o exame admissional e assinar o contrato, preparando tudo para o inicio do trabalho”, conta o rapaz, que se mostrou satisfeito com a ambientação ao mundo do trabalho através da parceria com o Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE-RJ), que proporciona ao jovem a base teórica para sua atuação profissional. “Achei ótima a preparação que nos é passada, com o aprendizado através do curso, além do trabalho em si.”

Radiante com a nova fase de sua carreira, ele reconhece que o proveito máximo do conhecimento proporcionado aos recém-chegados ao mercado só é possível com o esforço de cada um que recebe essa oportunidade. “Também depende muito do nosso esforço. Não é à toa que, com o término do contrato, fui promovido a estagiário. Esse reconhecimento do trabalho é muito importante para qualquer profissional”, conta Erick, que já planeja voos ainda mais altos a partir da experiência que ganha a cada dia.

A legislação sobre o jovem aprendiz

Através da lei nº 10.097 de 2000, o Ministério do Trabalho e Emprego regulamenta o Jovem Aprendiz para empresas públicas e privadas de todo o Brasil que oferecem vagas a jovens entre 14 e 18 anos – algumas chegando a contratar jovens de até 24 anos para essas oportunidades. São contemplados adolescentes e jovens adultos que buscam uma primeira oportunidade de trabalho, principalmente os que procuram cursos de qualificação profissional para se inserir no mercado.

A regulamentação esclarece, por exemplo, a impossibilidade de trabalho em locais que prejudiquem a formação e o desenvolvimento físico, psíquico, moral e social dos jovens, bem como em horários que impeçam a frequência à escola. Como estão em fase de formação, o trabalho não deve trazer prejuízos ao crescimento, ao convívio familiar e à educação, permitindo o alcance das condições necessárias para integrar a sociedade economicamente ativa no futuro.

Mediação da inserção profissional

Consciente da importância de proporcionar a jovens em situação de risco e vulnerabilidade social uma experiência inicial no mercado de trabalho, o RioSolidario conta com parceiros como Cedae e Ceasa para oferecer oportunidades de primeiro emprego.

Na Cedae, por exemplo, trabalham 184 jovens encaminhados pelo RioSolidario, incluindo pessoas com deficiência. Em 2019 essa parceria completa 10 anos, motivo de comemoração pelo assessor de Recursos Humanos, Marcos Bittencourt. “Buscamos a parceria do RioSolidario para trazer jovens de áreas de vulnerabilidade social, inclusive alguns que estão cumprindo medidas socioeducativas e pessoas com deficiência, um trabalho que tem importância fundamental pelo aspecto social da inclusão. É uma parceria que funciona perfeitamente, tanto que já temos 10 anos de trabalho em conjunto”.

Cada participante cumpre jornada de trabalho de quatro ou seis horas diárias, dedicando, a cada quatro dias da semana de atividades práticas, um dia de atividades teóricas e administrativas no CIEE-RJ. Além de bolsa-auxílio pela jornada mensal, eles recebem auxílio refeição, vale-transporte, FGTS, férias, décimo terceiro salário, seguro de vida e contagem de tempo de serviço para o INSS.

O Banco de Talentos do RioSolidario recebe cadastros de jovens entre 14 e 29 anos, que têm acesso a oportunidades oferecidas através de nossa rede de parceiros para sua qualificação profissional. Os participantes poderão ser encaminhados para cursos de capacitação e programas de jovem aprendiz. O cadastro pode ser feito através do link http://www.riosolidario.org/projetos/futuro-agora/banco-de-jovens/.

Perfil do jovem aprendiz no estado do Rio de Janeiro

42.347 aprendizes ativos
Homens – 20.621 (48,7%)
Mulheres – 21.726 (51,3%)