Comunidade foi escolhida para iniciar nova fase do processo de pacificação

Visita Sao Joao - Foto: Salvador Scofano

Integrantes da Comissão Executiva de Monitoramento e Avaliação da Política de Pacificação (Cemapp) estiveram, nesta terça-feira (31/3), no Morro São João, no Engenho Novo, para conhecer as principais demandas dos moradores e as instalações públicas que podem receber ações governamentais. O Morro São João é a primeira comunidade pacificada a receber um programa integrado de ações sociais e serviços públicos decorrentes da atuação da Cemapp, criada pelo governo do estado.

O grupo, formado por representantes de 14 secretarias estaduais, do RioSolidario, além do Instituto Pereira Passos (IPP) e Prefeitura do Rio, percorreu becos e vielas das três comunidades que integram o complexo – Queto, Matriz e São João. A visita também foi acompanhada pelo comando da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) e presidentes de associações de moradores locais. O grupo terá 15 dias para fazer o diagnóstico da visita e apresentar o planejamento de ações para a comunidade.

– O grupo veio levantar as condições da comunidade para desenvolver projetos. Nosso maior desafio é trazer benefícios permanentes, e não apenas ações de fim de semana – disse o técnico da Casa Civil do estado Luciano Jobim.

Para o comandante da UPP São João, Matriz e Queto, capitão Leandro Carlou, a reunião é o primeiro passo para um realinhamento das ações nas comunidades.

– A gente vem dizendo que a Polícia sozinha não é a solução. Há carência de muitos serviços, e a chegada das melhorias não ocorre na mesma velocidade da presença policial. Estamos todos buscando avançar mais a partir de agora – afirmou Carlou.

Nova etapa do processo de pacificação

O Morro São João foi escolhido piloto para a nova fase do processo de pacificação. Durante o mês de março, todo o efetivo da unidade passou por um curso de capacitação, com instruções sobre técnicas de abordagem, policiamento de proximidade, direitos humanos e mediação de conflitos.

– Já estamos observando os resultados dessa capacitação. Vemos a tropa se deslocando e progredindo na conquista de espaços dentro da comunidade. Tenho certeza de que este grupo vai fazer a diferença pela proposta de implantar ações integradas. Estamos em uma nova fase do projeto das UPPs – explicou ocoordenador de Articulação Comunitária das UPPs, major Marcelo Corbage.

Melhorias para sete mil moradores

A UPP São João foi instalada em dezembro de 2011, beneficiando pelo menos sete mil moradores das três comunidades.

Presidente da Associação de Moradores do Queto, Maria Helena da Costa Martins destacou o saneamento básico como principal carência local.

– Já perdemos muitos amigos e vizinhos com doenças como tuberculose e hepatite. Essa situação precisa mudar – disse Maria Helena.

Criada por meio de um decreto do governador publicado em Diário Oficial, a Comissão Executiva de Monitoramento e Avaliação da Política de Pacificação visa a monitorar e aprimorar as ações sociais em comunidades com UPPs.