Espaço no Jardim Botânico vai capacitar jovens aprendizes e sensibilizar população

Inauguração do Jardim Sensorial

O Jardim Sensorial do Jardim Botânico do Rio de Janeiro foi reaberto ao público, nesta quinta-feira (30/07). A iniciativa integra o Programa Eco Atitude do Instituto Masan e tem como objetivo incluir socialmente pessoas com deficiência e jovens aprendizes. O espaço reúne plantas com diferentes texturas e aromas, que aguçam os sentidos, principalmente o tato e o olfato. Orquídeas, pés de manjericão, menta e muitos outros podem ser tocados e até provados pelos visitantes, que em uma das principais atividades, caminham pelo jardim com os olhos vendados.

­Parceira do Instituto Masan, a primeira-dama e presidente do RioSolidario, Maria Lucia Horta Jardim, acompanhou a visita.

– O RioSolidario abraçou a causa da pessoa com deficiência. Fico feliz com a oportunidade de ver que essas pessoas podem ser incluídas. Essa é a sociedade que a gente quer, mais justa e inclusiva – ressaltou Maria Lucia.

O novo jardim passa a contar com uma equipe formada por oito monitores e uma técnica educacional, preparada para receber visitantes com necessidades especiais, especialmente cegos e deficientes visuais. Dos oito monitores, três são cegos e um tem baixa visão. Eles foram selecionados em parceria com o Instituto Benjamin Constant (IBC).

– Para mim, é uma experiência nova, mas que tem sido maravilhosa. Sempre vivi no mundo da tecnologia. Soube da oportunidade através de funcionários do Benjamin Constant e estou muito feliz – disse Luciano Baptista, de 25 anos, que é cego e trabalhará como um dos guias do espaço.

Para Mariana Mandarino, de 21 anos, ser monitora do jardim é uma oportunidade de passar suas experiências para os visitantes. A jovem também é deficiente visual.

– Estou acostumada com plantas e sempre gostei que as pessoas me explicassem tudo que veem. Com essa experiência, sou eu quem vai explicar tudo para as pessoas – declarou a jovem.

Masan lança instituto

A Masan lançou o Instituto Masan, que vai reunir os projetos sociais da empresa. A expectativa da instituição é triplicar o número de pessoas impactadas nos próximos cinco anos, com iniciativas como o Sementes do Amanhã, que se dedica à capacitação de jovens em cumprimento de medidas socioeducativas. O projeto conta com a parceria do RioSolidario, Novo Degase, Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e Firjan.

– O Instituto se coloca como um verdadeiro gerador de oportunidades. Nos últimos quatro anos, vimos que, através dos nossos projetos, podemos transformar a vida das pessoas. Mas nada disso seria possível sem as nossas parcerias – disse Adriana Pinto, presidente do Grupo Masan e do Instituto Masan.

A primeira-dama e presidente do RioSolidario, Maria Lucia Horta Jardim foi escolhida uma das madrinhas do Instituto.

– O poder público sozinho não dá conta de superar as necessidades e mazelas que a sociedade apresenta. Por isso, me alegro com as nossas parcerias. Fico feliz também que a Adriana Pinto tenha sido escolhida a presidente do Instituto, pois ela trabalha com o coração. Transformamos vidas com oportunidades, e a Adriana dá oportunidades que transformam vidas – declarou Maria Lucia, durante a cerimônia de lançamento do Instituto Masan, nesta quinta-feira (30/07).

Em parceria com a Masan, o RioSolidario promove ações de qualificação e capacitação profissional para adultos, jovens e pessoas com deficiência de comunidades carentes.

Texto: Gabriela Murno

Fotos: Bruno Itan