Em esquetes teatrais, alunos encenaram fatos do cotidiano de uma comunidade

Culturarte

O Instituto Masan entregou, nesta sexta-feira (11/12), os certificados de conclusão da primeira turma do programa Culturarte. No palco, os jovens moradores de comunidades pacificadas se transformaram em verdadeiros artistas. Em seis esquetes teatrais, os alunos encenaram fatos engraçados do cotidiano das favelas e arrancaram risos da plateia. O espetáculo aconteceu na sede da Fecomércio RJ, no Flamengo.

Desde setembro, os jovens participam das aulas de teatro oferecidas pelo programa, que conta com o apoio do RioSolidario. O objetivo é auxiliar no desenvolvimento da criatividade e da autoconfiança, na concentração dos participantes, além de estimular o gosto pela cultura. O texto da peça foi escrito pelos próprios alunos em conjunto com o professor e diretor de teatro, Éder Montalvão.

Segundo o coordenador de Sustentabilidade do Instituto Masan, Alexandre Sapucaia, a formatura da primeira turma representa um marco para a instituição e um momento de compartilhar com os alunos o sucesso do trabalho realizado durante as aulas.

– No decorrer dos meses, percebemos a evolução dos alunos e o aumento do interesse da turma pelas artes e pela literatura. É uma vitória para todos. A partir de agora, eles poderão buscar novos desafios – disse o coordenador.

A diretora do RioSolidario, Liliana Pinelli, ressaltou a importância da parceria com o Instituto Masan e elogiou o desempenho dos alunos.

– Foi impressionante ver como, em pouco tempo, eles aprenderam, ensaiaram e se apresentaram tão bem. Nossa torcida é para que esses jovens continuem estudando e tenham muito sucesso porque isso é transformador – afirmou a diretora.

Moradora do Complexo do Alemão, Jéssica Honorato, de 20 anos, contou que seu sonho sempre foi ser atriz. Para ela, o programa fez uma grande transformação na sua vida, desde o jeito de andar e de ter mais postura, até a oportunidade de conhecer e de se relacionar com novas pessoas.

– Recentemente, fui convidada para participar do elenco da peça “A casa de Bernarda Alba”, de um grupo de teatro da comunidade do Palmeiras – comemorou a jovem.

Texto: Fabiane Moreira

Fotos: Bruno Itan