Semana Nacional do Doador de Sangue acontece até sexta-feira (27/11):  hashtag #vemdoar quer atrair o público jovem. Hemorio lança aplicativo

Semana Doador

O Hemorio promoveu coleta móvel, nesta quarta-feira (25/11), durante a Semana Nacional do Doador de Sangue, na Cinelândia.  No primeiro dia da campanha, 456 doadores participaram da ação. A expectativa é de que cerca de 1,5 mil pessoas compareçam ao evento, que tem como meta a coleta de bolsas de sangue, que serão distribuídas para unidades de saúde do estado. A tenda vai funcionar nesta quinta-feira (26/11), das 9h às 17h, e sexta-feira (27/11), das 8h às 16h.

A campanha promovida na Semana Nacional do Doador aumenta os estoques do Hemorio em um período importante – o fim do ano, quando é registrada uma redução do número de doadores próximo às festividades,  justo no período em que há uma demanda maior de reposição sanguínea. O Hemorio é o responsável pelo abastecimento de sangue e derivados de cerca de 200 unidades conveniadas ao Sistema Único de Saúde (SUS) .

– Temos visto no Hemorio grandes grupos de doadores de sangue que se mobilizam através das redes sociais. Objetivamos que o público jovem tenha ampla adesão à campanha, utilizando a hashtag #vemdoar – disse o diretor do Hemorio, Luiz Amorim.

Para doar sangue é preciso ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50 kg, estar bem de saúde e portar documento de identidade oficial com foto. Jovens com 16 e 17 anos precisam de autorização dos pais ou responsáveis legais.  O modelo da autorização pode ser adquirida através do site www.hemorio.rj.gov.br. O Hemorio funciona todos os dias, das 7h às 18h, incluindo sábados, domingos e feriados, na Rua Frei Caneca, n° 8.

Hemorio lança aplicativo

Durante a Semana Nacional do Doador Voluntário de Sangue, o Hemorio lança o Hemopics – aplicativo mobile de edição de fotos que aplica um filtro nas imagens proporcional ao estoque de sangue disponível naquele momento.

Atualmente, apenas 1,5% da população do Estado do Rio doa sangue regularmente. No Hemorio, o déficit chega a 40%. Para se ter uma ideia da importância da necessidade de doações frequentes, a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que entre 3 e 5% dos habitantes de cada país doem sangue regularmente. No Brasil, este índice não tem ultrapassado 2%.

De acordo com a empresa eMarketer, em 2014, o Brasil é o 6º país em número de smartphones, com quase 40 milhões de aparelhos. Para Luiz Amorim, diretor-geral do Hemorio, os canais digitais são estratégicos.

– Temos visto aqui no Hemorio grandes grupos de doadores de sangue que se mobilizam através das redes sociais. Por isso, precisamos atingir essa parcela da população, conscientizando sobre a importância da participação deles na vida de um paciente – disse Luiz Amorim.

Diretor de criação da agência responsável pelo aplicativo, Eduardo Salles ressalta a opção pela ferramenta digital.

– A gente sabe que 44% da população brasileira passam cerca de cinco horas conectada, principalmente em redes sociais, gerando e compartilhando conteúdo com seus amigos. A opção por uma ferramenta digital, que lembra a importância da doação, é um jeito totalmente de acordo com o comportamento dos jovens na rede – afirmou Eduardo Salles.

Por meio do aplicativo, ao tirar uma foto, o usuário saberá o nível de estoque durante a Semana Nacional do Doador de Sangue, incentivando seus seguidores a participarem do movimento, por meio do compartilhamento da imagem em suas redes sociais. O Hemopics está disponível para download gratuito na AppStore e, em breve, no GooglePlay. O desenvolvimento durou quatro meses e contou com a parceria da ActioLab.

Levantamento realizado pelo Hemorio identificou o perfil da maioria dos doadores de sangue: homem, com idade entre 18 e 29 anos, morador da Baixada Fluminense ou Zona Norte do município do Rio de Janeiro. Além disso, os dados identificaram que os moradores da capital são os mais assíduos na doação de sangue, contabilizando 65,1% do total. A proposta da unidade com campanhas de motivação é expandir o perfil deste doador, incentivando a participação das mulheres.

Segundo dados coletados pela unidade, de outubro de 2014 a outubro de 2015, apenas 32% são doadores de repetição (ou seja, têm o hábito de doar sangue), contra 46% de doadores espontâneos (que vão motivados por campanha ou episódios). Do total, 67% são homens e 36% são jovens de 18 a 29 anos.

Quando analisada as regiões de origem, 27% são da Baixada Fluminense, 18% da Zona Norte, seguidos da Zona Oeste (14%), Centro (6%) e Zona Sul (6%). Outros municípios e regiões da capital somam 29%.

Fotos: Luiz Barros