Crianças terão uma tarde com brincadeiras e guloseimas ao lado das mães

FullSizeRender (1)

As crianças que estão na Casa Abrigo Lar da Mulher terão uma tarde para lá de animada para comemorar o dia das crianças, nesta sexta-feira (12/10). As mães residentes passaram por uma oficina com a pedagoga da equipe do abrigo para organizar a festa com o tema Mickey e Minnie, que começa na hora do almoço e, se depender da animação da criançada, não tem hora para acabar. Além de trazer alegria, a celebração tem como objetivo estreitar os laços entre as mães e os pequenos.

 

– Esse é um momento de muita alegria para todos nós, porque é a primeira vez que muitas dessas crianças vão receber uma festa. Muitas delas só conheciam a linguagem da violência no ciclo familiar. A nossa missão é apresentar uma linguagem diferente, a linguagem da solidariedade, do amor, do afeto – diz a diretora da Casa Abrigo, Sueli Ferreira.

 

As 11 crianças que estão no abrigo terão um almoço com um menu especial. O prato principal será estrogonofe de frango e a sobremesa, sorvete de flocos. No lanche da tarde, eles vão se deliciar com bolo, docinhos, pipoca, cachorro quente, gelatina e muitas guloseimas. Para embalar tudo isso, as mães e a equipe do abrigo vão propor brincadeiras tradicionais como de roda e amarelinha. Para completar a farra, as crianças receberão presentes de acordo com a faixa etária.

 

– Nós do RioSolidario ficamos muitos felizes por poder proporcionar esta alegria à essas crianças em um momento tão difícil da vida, em que eles já tiveram que deixar a casa, o convívio dos amigos e de outros membros família. É um momento de valorização e de redescoberta dos laços afetivos para este núcleo familiar – afirma a coordenadora do RioSolidario, Roberta Rosa.

 

Sobre a Casa Abrigo Lar da Mulher

 

Criado em 2007, o espaço tem como objetivo amparar, proteger e fortalecer essas mulheres, oferecendo assistência psicológica, social, hospitalar e jurídica a elas e seus filhos. O trabalho é desenvolvido de forma que as abrigadas conheçam os seus direitos, ampliem a consciência sobre relacionamentos afetivos saudáveis e retomem suas vidas seguras e, se possível, já inseridas no mercado de trabalho.

 

O Lar da Mulher funciona 24 horas, em local sigiloso no Rio de Janeiro, como residência temporária de até quatro meses, com capacidade para abrigar 60 pessoas, entre mulheres e crianças. A casa possui 15 quartos, salas de atividades e berçário, dispostos numa área de 1.300 metros quadrados. Ações, como grupos de reflexão, atividades lúdicas e relaxamento ajudam essas mulheres a reconstruírem seus laços familiares e de amizade, em geral dilacerados após se afastarem de casa por medo do agressor. Elas são encaminhadas por centros de referência de atendimento à mulher, outros abrigos, Central Judiciária de Abrigamento Provisório da Mulher Vítima de Violência de Doméstica – CEJUVIDA.

Texto: Suzane Lima