Espaço de 420m² do RioSolidario ganhou o formato de mercado popular

IMG_9223

Foi aberta, nesta quarta-feira (25/11), a 55ª Feira da Providência, que acontece até o próximo domingo (29/11), no Riocentro. Peças artesanais, flores e produtos agrícolas típicos de diversas regiões do Estado do Rio de Janeiro estão reunidos em um único espaço. Com o apoio do Governo do Estado e patrocínio da Loterj, o estande do RioSolidario apresenta, nesta edição, o trabalho de mais de 120 produtores fluminenses.

– O RioSolidario e o Governo do Estado ficam muito felizes em participar desse evento que possibilita o custeio de muitos projetos sociais. No estande, os municípios mostram suas belezas, sabores e saberes. É uma grande oportunidade de divulgar a produção do nosso estado – disse a primeira-dama do Estado e presidente do RioSolidario, Maria Lucia Horta Jardim, que participou da cerimônia de abertura da feira.

O espaço de 420 m² ganhou o formato de mercado popular e traz como destaque a cerâmica. Durante a abertura, o mestre oleiro Almir Chagas produziu, em um torno instalado na vitrine, peças como jarros e tigelas. Quem passou pelo estande conferiu ao vivo o trabalho.

– Estar na Feira da Providência é muito importante, porque além de conhecermos outros artistas e seus trabalhos, temos a oportunidade de mostrar o que fazemos para um grande número de pessoas de diferentes locais – ressaltou o ceramista.

Ao lado, a artesã Milla, de Maricá, modelou suas esculturas em argila. Ela, que participa pela quarta vez da feira, destacou a visibilidade que o evento dá aos artistas e produtores do interior do estado.

– Sem espaços como este, muita gente não teria a oportunidade de conhecer o meu trabalho, já que sou do interior. Minhas vendas são restritas a feiras e exposições – disse ela. As peças custam de R$ 250 a R$ 500, e levam mais de uma semana para serem produzidas.

Pelos corredores do mercado, o público também encontra artigos produzidos por mais de 30 municípios do estado, como objetos decorativos, tapetes em retalhos e fibra, bolsas e acessórios, almofadas bordadas, colchas em tecido, bonecas, esculturas em madeira, santos em papel, entre outros. Estão expostas cerca de 4 mil peças produzidas por 90 artesãos do Programa de Artesanato da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca.

Os visitantes ainda podem experimentar as delícias do interior fluminense. São 40 produtores de agricultura familiar, apresentando queijos, cafés, cachaças, geleias, conservas e doces. Eles fazem parte do Programa Prosperar, da Secretaria de Estado de Agricultura e Pecuária, que tem como objetivo legalizar os empreendimentos, capacitar os beneficiários e aumentar a oferta de emprego e a renda na área rural.

A Associação dos Produtores de Cachaça do Estado do Rio de Janeiro (Apacerj) leva nove rótulos de diferentes regiões do estado para o espaço do RioSolidario. A presidente da entidade e proprietária da premiada Cachaça da Quinta, produzida no Carmo, município da Região Serrana do Rio, Katia Espírito Santo, ressaltou a importância do evento para os produtores.

– É uma satisfação para todos nós. Podemos mostrar nosso trabalho, ressaltando as peculiaridades de cada região e cada produto. Também é importante fazer parte de um espaço que traz benefícios para entidades sociais e a comunidade – declarou Katia. A Apacerj reúne 50 produtores e 25 engarrafadores de cachaça de todo o estado.

– Além da divulgação, podemos vender com preços menores, já que tratamos direto com os consumidores – completou Gilmar Carino, presidente da Associação dos Produtores Agroindustriais do Rio de Janeiro (Apro-Rio) e produtor de queijos curados e condimentados, da agroindústria Fazenda Boa Fé, localizada em Santa Maria Madalena, no Norte do Estado.

No estande do RioSolidario há ainda um espaço para apresentações de música e dança. Na abertura, o espetáculo ficou por conta dos jovens do projeto “Galpão Aplauso”. Na quinta-feira (26/11), às 19 horas, será a vez do Grupo de Dança Sobre Rodas “Corpo em Movimento” da Associação Niteroiense dos Deficientes Físicos (Andef), e na sexta-feira (27/11), da Orquestra “Maré do Amanhã”.

Texto: Gabriela Murno

Fotos: Bruno Itan