Em parceria com o Governo do Estado e com o patrocínio da Loterj, o espaço comercializou cerca de R$ 173 mil em artigos de artesãos e produtores da agroindústria fluminense

Feira da Providência

As vendas dos artesãos e produtores da agroindústria fluminense bateram novo recorde, durante os cinco dias da 55ª Feira da Providência, realizada até domingo (29/11) no Riocentro. Foram comercializados cerca de R$ 173 mil, no estande do RioSolidario, que contou com a parceria do Governo do Estado e o patrocínio da Loterj.

O espaço de 420 m², construído com o formato de um mercado popular, reuniu cerca de quatro mil peças produzidas por 90 artesãos do Programa de Artesanato da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca. Juntos, os artistas venderam R$ 53,5 mil.

Os visitantes que passaram pelo estande também puderem experimentar as delícias do interior fluminense. No total, foram comercializados cerca de R$ 120 mil em artigos como queijos, cafés, geleias, cachaças e doces, produzidos por 40 agricultores. Eles fazem parte do Programa Prosperar, da Secretaria de Estado de Agricultura e Pecuária, que tem como objetivo legalizar os empreendimentos, capacitar os beneficiários e aumentar a oferta de emprego e renda na área rural.

– No nosso estande, os municípios tiveram a oportunidade de mostrar suas belezas, sabores e saberes. Foi uma grande oportunidade de divulgar a produção do nosso estado. A Feira da Providência dá mais visibilidade à nossa cultura e ajuda a incrementar a economia – disse a primeira-dama do Estado e presidente do RioSoldiario, Maria Lucia Horta Jardim.

A divulgação foi a principal vantagem citada por Gilmar Carino, presidente da Associação dos Produtores Agroindustriais do Rio de Janeiro (Apro-Rio) e produtor de queijos curados e condimentados na agroindústria Fazenda Boa Fé, localizada em Santa Maria Madalena, no Norte do Estado.

– Na Feira da Providência, nós pudemos mostrar a qualidade da nossa produção artesanal. Apesar de já vendermos em todo o estado, a divulgação aqui é muito grande. Além disso, pudemos vender com preços menores, pois tratamos diretamente com os clientes – disse Gilmar Carino.

Em 2014, os artesãos e produtores da agroindústria fluminense venderam juntos mais de R$ 70 mil em produtos.

Feira da Providência reúne artesãos e produtores agrícolas do Estado do Rio

Texto: Gabriela Murno

Fotos: Bruno Itan