Casa Futuro Agora já ajudou jovens a melhorar o desempenho escolar e a ingressar no mercado de trabalho

_MG_0029

Mais de três mil alunos formados, quatro cursos profissionalizantes gratuitos, mais de três mil horas de aula, 11 unidades  e muitos novos sonhos construídos. Este é o balanço do projeto Casa Futuro Agora que realiza as últimas formaturas dos jovens em vulnerabilidade social nos cursos de informática, inglês, poesia falada e audiovisual.

O RioSolidario, o Ministério Público do Trabalho/RJ e a Cedae* são responsáveis pelo projeto.

Para a coordenadora do projeto, Luiza Miranda, os cursos proporcionaram grandes conquistas e aprendizado aos jovens que vão além da capacitação profissional e técnica:

– O grande legado é o próprio jovem morador das comunidades. Estes jovens conseguiram aproveitar as oportunidades levadas pelo projeto: cursos em diferentes áreas do conhecimento, atividades extras (como os eventos que realizamos) e a atenção individualizada dada a cada participante. A partir dessas experiências, eles passam a ter novas perspectivas e visões sobre seu “tempo livre” e futuro, tornando-se também exemplo e estímulo para outros jovens e suas famílias – enfatizou, orgulhosa, Luiza.

Apesar do clima de despedida entre os alunos dos cursos de informática e inglês das  unidades de Cordovil, Campinho, Gardênia Azul, São João, Sepetiba, Prazeres, Urucânia e nas unidades do Degase, em Bangu e na Ilha do Governador, a  alegria pela conquista e trajetória se destacaram.

Um dos alunos da unidade de Campinho, na Zona Norte, é o jovem Daniel Augusto Rodrigo, 15 anos. Ele fez todos os cursos oferecidos pela Casa Futuro Agora, mas o que mais teve a dedicação do estudante foi o de informática com certificação da Cisco Networking Academy:

– Me especializei na área de internet, a fazer manutenção em computador e em tecnologias de rede, era o que eu queria muito aprender. Vi a oportunidade do CCNA e aproveitei. Esta certificação é muito importante. Vou me dedicar ainda mais. Com o curso, não sou mais um amador, sou um técnico, tenho um documento provando isso  –  enfatizou o jovem que concluiu o curso que pode custar até R$3 mil em uma instituição privada.

Mãe de uma das alunas do curso na unidade do Morro dos Prazeres, a secretária Edilene dos Santos, 50, elencou os benefícios que o proejto proporcionou a filha Rayane:

– Ela aprendeu muito e isso vai ajudar no futuro dela. A Rayane saia do colégio e vinha direto para cá. Antes, ela ficava em casa sem fazer nada.  Agora eu sei onde ela está:  investindo no futuro dela. Eu fico muito mais tranquila – enfatizou a mãe.

Para o instrutor Genival André, um dos êxitos do projeto é proporcionar mais condições destes jovens disputarem uma vaga no mercado de trabalho:

– O mercado de trabalho é muito competitivo, cruel,  quanto mais qualificado você estiver, mais chances você tem de sair na frente. E estes vão estar na frente de outras pessoas, eles estão preparados, estão qualificados.

O instrutor Matheus Mozinho complementou apresentando as qualificações que jovens colocarão em seus currículos após concluírem todas as etapas do curso de informática:

– Eles aprendem desde o básico, passando pelos módulos de pacote office, aprendendo as fórmulas no excel, juros compostos, etc,  até o módulo profissionalizante: introdução a redes e computação . Eles vêm pra cá com uma visão bem simples, mas se surpreendem com o universo que descobrem aqui – destacou o instrutor, enfatizando o progresso pessoal dos jovens que chegam sem perspectivas  de futuro e, ao descobrirem sobre suas habilidades e as possibilidades de profissões, saem cheio de ideias para um futuro promissor.

 

Construindo um novo futuro

O Casa Futuro Agora já proporcionou a estudantes um melhor desenvolvimento escolar, contribuiu para o ingresso de jovens no mercado de trabalho e como bolsitas em outros cursos. Um dos exemplos é o jovem Christian Oliveira, 19 anos, que fez todos os cursos do projeto e foi contratado pela Cedae:

– Se não fossem os cursos oferecidos no CFA, eu estaria na mesmice de ir somente à escola e voltar pra casa para ver televisão ou jogar no computador, sem pensar sobre o que eu poderia fazer ou sobre como melhorar a mim mesmo como ser humano. Atualmente, estou trabalhando na Cedae como Jovem Aprendiz na área Administrativa e pretendo fazer faculdade em breve – pontuou o jovem.

O Projeto Casa Futuro Agora é financiado com recursos oriundos de acordo entre a Cedae e o Ministério Público do Trabalho (MPT-RJ), em ação trabalhista ajuizada pela instituição contra a companhia.

 

Texto: Gabriela Hilário

Foto: André Gomes de Melo