Jovem concluiu o curso de informática na unidade do Morro São João, na Zona Norte

WhatsApp Image 2017-11-24 at 16.51.44 

O projeto Casa Futuro Agora cruzou a fronteira e formou um aluno venezuelano. Nem mesmo o idioma foi um impeditivo para o jovem Dionel Gregório Acosta Silva, de 17 anos, que fez o curso gratuito de informática, na unidade do Morro São João, na Zona Norte do Rio.

A Casa Futuro Agora é um espaço de conhecimentos e preparação de jovens para o mundo do trabalho. O programa ofereceu gratuitamente cursos de inglês, informática, audiovisual e poesia falada para jovens entre 12 e 17 anos em situação de risco e vulnerabilidade social. O projeto, sob a responsabilidade do   RioSolidario, Ministério Público do Trabalho (MPT-RJ) e Cedae, já formou mais de três mil alunos.

Dionel veio para o Rio de Janeiro morar com o pai há cerca de quatro meses e chegou, justamente, quando a unidade do Morro São João inscrevia para a última turma de informática:

– Decidi vir para o Rio em busca de mais oportunidades, pois meu pai já estava morando aqui há um tempo. Na escola, fiquei sabendo do curso e fui me inscrever na hora, pois gosto muito de informática – justificou o jovem.

Para a coordenadora do projeto Casa Futuro Agora, Luiza Miranda, a participação do jovem no projeto também foi uma oportunidade de intercâmbio para os outros alunos:

– Além de enriquecer o projeto com a troca cultural, saber que contribuirá para a construção de uma nova vida para essa família nos enche de orgulho e engrandece ainda mais os objetivos alcançados pelas Casas Futuro Agora.

Apesar de ter concluído apenas o curso básico, intitulado Primeiros Passos, Dionel já tem planos para colocar em prática o que aprendeu:

– Minha família e eu pensamos em abrir um negócio no ramo de alimentação. Tudo o que aprendi no curso de informática vai ser importante para este projeto – enfatizou.

O Projeto Casa Futuro Agora é financiado com recursos oriundos de acordo entre a Cedae e o Ministério Público do Trabalho (MPT-RJ), em ação trabalhista ajuizada pela instituição contra a companhia.

Foto: arquivo pessoal