Governo do Estado e Escola de Gastronomia oferecem oportunidade em curso de 12 meses

 

Cordontec primeiro dia - Foto Felipe Corrêa

Os dez alunos de baixa renda, selecionados para estudar gratuitamente na renomada escola de gastronomia Le Cordon Bleu, realizaram uma visita de ambientação na escola, nesta segunda-feira (10/9). O grupo formado por alunos oriundos da rede pública estadual de ensino, com idades entre 18 e 35 anos, passou por várias etapas de um processo seletivo, entre elas o teste de habilidade específica aplicado pelo próprio Le Cordon Bleu.

Parceria firmada entre o Governo do Estado do Rio de Janeiro, por meio da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) – órgão vinculado à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Social -, e a instituição de renome internacional garantiu 20% das vagas em curso profissionalizante com 12 meses de duração.

– Temos um carinho imenso por este projeto. Estes homens e mulheres têm agora a oportunidade de realizar um curso de excelência mundial – disse o governador Luiz Fernando Pezão, que recebeu os alunos bolsistas, no Palácio Guanabara.

– A oportunidade de ter uma escola destas no Rio de Janeiro nos enche de orgulho. Temos consciência de que esta é uma oportunidade única para estes estudantes – afirmou a primeira-dama, Maria Lucia Horta Jardim.

O curso Cordontec vai ensinar técnicas de pâtisserie, cuisine, boulangerie e serviço de salão. Os bolsistas selecionados pela Faetec também vão receber uniforme, kit completo de facas e apostilas, dados pelo Le Cordon Bleu. Ao fim do curso, os alunos poderão estagiar no restaurante-escola e no café-confeitaria, que serão abertos ao público no prédio de 1,6 mil metros quadrados, que foi cedido pelo governo do estado ao Le Cordon Bleu, localizado na Rua da Passagem, no bairro de Botafogo, Zona Sul do Rio.

– O Rio tem uma vocação turística e gastronômica. Esta escola traz a possibilidade de renovação de profissionais que, em pouco tempo, estarão no mercado – ressaltou o secretário de Ciência e Tecnologia, Gabriell Carvalho Neves Franco dos Santos.

– Conseguimos fazer uma seleção equilibrada que contemplou comunidades do Rio e cidades da Baixada. Muitos eram alunos da Faetec e outros já haviam cursado cursos de Gastronomia. Estas pessoas não teriam condições de ingressar no Le Cordon Bleu de outra forma – enfatizou o vice-presidente da Faetec,  Gilson Carlos Rodrigues Paulino.

 

Alunos bolsistas

Morador de Manguinhos, Phelipe Gonçalves Ferreira, de 28 anos, já planeja sua carreira. O rapaz, que tem formação em Gastronomia pela Universidade Federal do Rio (UFRJ) e cursa mestrado em Ciências dos Alimentos na mesma instituição, sonha em dar aulas no futuro.

– Conseguir estudar no Le Cordon Bleu é um sonho realizado. Quando soube que as vagas para o processo seletivo seriam abertas e que eu poderia ser um bolsista, fiquei super feliz. Também já fiz sete cursos na Faetec, uma rede de ensino importante para quem é de baixa renda. Lá conclui cursos como o de Cozinheiro, Padeiro, Confeiteiro, entre outros.  Quero ser docente e dar aula de Gastronomia, mas é claro que a prática será fundamental para que eu chegue lá – disse Phelipe.

Moradora de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, Danielle Silva dos Santos, 34 anos, descreve a sensação de ser selecionada como a “melhor coisa do mundo”. Ela quer se especializar em Confeitaria.

– Demorou uns dois dias para cair a ficha. Chorei muito.  Estudei Direito, Contabilidade, Letras, e nada me preenchia, mas sempre gostei de cozinhar – afirmou Danielle.

A escola de gastronomia Le Cordon Bleu  é a mais tradicional do mundo e foi inaugurada em 1895. Atualmente, a instituição está presente em 20 países, com 35 escolas e 20 mil formandos por ano.

O RioSolidario foi  responsável pela análise do perfil socioeconômico dos jovens e vai atuar, em parceria com o Governo do Estado e o Le Cordon Bleu, no acompanhamento dos estudantes durante o curso. A equipe,  formada por profissionais de várias áreas de atuação, dará suporte aos alunos em vulnerabilidade social.

 

Crédito das fotos: 

 Pezão com os bolsistas – fotógrafo: André Gomes de Melo

Demais fotos – fotógrafo: Felipe Corrêa