Programa de combate ao desperdício tem ajudado instituições fluminenses

 

30/12/2014 - Programa Banco de Alimentos amplia atendimento em comunidades com UPPs - entrega no Complexo do Alemão. Foto Marcelo Horn

 

Quatrocentas e três instituições receberam 1,3 mil toneladas de alimentos após a intensificação de campanha de combate ao desperdício. Em 2015, foram 600 toneladas para cerca de 230 unidades.

O Banco de Alimentos da Ceasa-RJ busca reduzir o desperdício nas Centrais de Abastecimento. O programa recebe doações voluntárias dos permissionários e produtores que atuam nas unidades da Ceasa.

Ampliação

Para expansão do projeto, foi firmado um convênio com o Ministério do Desenvolvimento Social e de Combate à Fome (MDS) para execução do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), que consiste na compra de produtos produzidos por agricultores familiares do Estado  do Rio para serem repassados a instituições cadastradas pelo Banco. Além disso, as mercadorias apreendidas nos postos das Centrais também são selecionadas para serem distribuídas.

– Todo o trabalho tem o objetivo de incentivar a cidadania. Ao invés de jogar o alimento no lixo, estamos desenvolvendo a mentalidade do não desperdício e da solidariedade. Por meio do PAA, mantemos o homem no campo ao incentivar a agricultura familiar, que equivale a 2/3 do que é produzido no Estado do Rio – afirmou o presidente da Ceasa-RJ, Paulo Jobim Filho.

Cestas são distribuídas à população

Os alimentos distribuídos às instituições são recolhidos nos Bancos de Alimentos de São Gonçalo, Nova Friburgo, Itaocara, Paty do Alferes e São José de Ubá. São produtos que não foram comercializados, mas que estão em perfeita condição para o consumo. O programa também capacita jovens, em parceria com a obra social do RioSolidario.

– Este é um projeto que tem uma enorme capilaridade de transformação social. Preparamos estes jovens para atuarem no mercado de trabalho em tarefas relacionadas à manipulação de alimentos – disse o presidente da Ceasa-RJ, Paulo Jobim Filho.

Através da parceria entre a Ceasa e o RioSolidario, três creches (Batan, Vila do João e Cidade de Deus) e a Casa Abrigo Lar da Mulher, que atende a vítimas de violência doméstica, passaram a integrar o Banco de Alimentos em setembro de 2015.

Cerca de mil agricultores familiares do Estado do Rio de Janeiro estão cadastrados para fornecer em torno de 55 itens hortifrutigranjeiros às unidades do Banco de Alimentos da Centrais de Abastecimento do Rio.

 

Fotos: Marcelo Horn e Divulgação