Objetivo foi a conscientização dos jovens sobre as dificuldades enfrentadas pelas pessoas com deficiência

Botafogo - Betel

Dezoito jovens da equipe de remo do Botafogo estiveram, na sexta-feira (23/10), na Casa Abrigo Betel. Parceira do RioSolidario, a instituição acolhe cerca de 50 crianças e adultos com deficiência intelectual, que antes viviam em situações de risco e vulnerabilidade social.

A primeira-dama do estado e presidente do RioSolidario, Maria Lucia Horta Jardim, os treinadores Paulo Vinícius e Alexandre Fernandez, e o Dr. Cláudio Domênico acompanharam a visita, que teve como objetivo a conscientização sobre as dificuldades ainda enfrentadas pelas pessoas com deficiência.

– Conversei com o Dr. Cláudio e pensamos que seria legal trazer a garotada, para que eles refletissem e percebessem que os problemas que enfrentam não são nada perto da dificuldade de muitas pessoas, como as que têm deficiência. Queremos que eles sejam mais gratos pela vida que têm – explicou Paulo Vinícius.

Maria Lucia explicou o papel do RioSolidario de fazer a articulação não só entre as próprias instituições que atendem pessoas com deficiência, mas também delas com empresas e toda sociedade.

– É um trabalho de formiguinha, mas já estamos colhendo bons frutos. São milhares de pessoas com deficiência e só conhecendo de perto as dificuldades, vamos saber como ajudá-los. Se cada um de nós fizer um pouquinho, vamos ajudar a aumentar a inclusão dessas pessoas – destacou ela.

Depois de conhecerem todos os ambientes da Casa Abrigo Betel, os jovens brincaram e conversaram com os adultos e crianças que vivem na instituição. A atleta Gabriela Salles, de 21 anos, fez muitas perguntas aos diretores do abrigo e ressaltou pretende voltar como voluntária.

– Achei a visita ótima. É triste ver que há muita gente abandonada por ter alguma deficiência. Mas, ao mesmo tempo, é legal saber que existem pessoas boas ajudando. Eles acharam outra família aqui. Pretendo voltar, apesar da distância, e ajudar as pessoas mais velhas daqui. Isso aqui ainda é muito pouco, perto do que eles precisam – disse Gabriela. A Casa Abrigo Betel fica em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Escolhido para ser o príncipe no aniversário de 15 anos de uma das moradoras da instituição, a Tatá, Guilherme Gomes, de 20 anos, também prometeu retornar.

– Com certeza, eu vou voltar e vou trazer mais gente para ajudar – disse Guilherme.

Texto: Gabriela Murno

Fotos: Bruno Itan