Iniciativa prevê a inclusão de meninos e meninas, de 14 a 20 anos, das unidades de internação e semiliberdade do Degase, que terão carteira assinada e salário mensal

Degase_CarlaileRodrigues

Foi lançado nesta terça-feira (20/12), no auditório da Escola João Luiz Alves (EJLA), unidade de internação do Degase, na Ilha do Governador, o programa Aprendiz na Medida, do Ministério do Trabalho. O programa conta com as parcerias do Ministério Público do Trabalho (MPT), o Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (TRT/RJ), o Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ), a Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Amatra) e o Novo Degase, por meio da Divisão de Profissionalização (Dipro). O programa prevê a inclusão de 330 jovens de 14 a 20 anos das unidades de internação e semiliberdade do Degase em vagas de aprendizagem.

Os aprendizes serão capacitados durante 12 meses, com carteira de trabalho assinada, remuneração de R$550,00, entre outas garantias. Serão quatro horas diárias, divididas entre teóricas e práticas. Pela primeira vez, adolescentes que cumprem medida socioeducativa de internação irão participar desse tipo de programa.
Serão oferecidos os cursos de Assistente Administrativo, Microempreendedor Individual (MEI), Pizzaiolo, Promotor de Vendas, Barbeiro e Manicure/ Pedicure, dentro das dependências do Degase. As aulas, teóricas e práticas, serão ministradas pelo IFRJ.

Participaram do lançamento e compuseram a mesa de debates, o diretor geral do Degase, Alexandre Azevedo; o auditor fiscal do Ministério do Trabalho, Ramon de Faria Santos; a juíza da Vara de Execução de Medidas Socioeducativas, Lúcia Glioche; a desembargadora do Tribunal Regional do Trabalho/RJ, Glória Mello; o reitor da IFRJ,  Paulo Roberto Assis; o diretor do Departamento de Políticas de Trabalho e Emprego para a Juventude, Higino Vieira; a presidente da Amatra, Cléa Couto; a secretária de Inspeção do Trabalho, Maria Teresa Jansen; a procuradora do MPT, Dulce Martins, além da defensora pública, Eufrásia Virgens.

A juíza Lúcia Glioche ressaltou o trabalho incansável do auditor Ramon de Faria, em relação a seu empenho para realização do programa. Ela pediu que todos os jovens inseridos não deixem de frequentar as aulas, sob pena de perderem a vaga e comprometerem os próximos programas que ajudariam outros tantos jovens.

O auditor Ramon de Faria expôs alguns detalhes do programa, como duração, carga horária, remuneração e sua importância para os socioeducandos. Também citou as quatro empresas que estarão ajudando na formação desses aprendizes: Nova Rio, Masan, Conservadora Luso Brasileira e a Denjud.

O diretor do Degase, Alexandre Azevedo, agradeceu a todos os parceiros do programa, além dos servidores do departamento. Escolheu três palavras para definir a ocasião: gratidão, escolha e responsabilidade.

– Na vida, escutamos muito a frase “eu quero ver para crer”. Pois bem, educar é “crer para ver”. Tomem posse da vida de vocês, nós estamos apostando em vocês – disse o diretor aos jovens presentes, acompanhados de seus responsáveis, e que lotaram o auditório da EJLA.

As primeiras aulas vão começar dia 30 de janeiro, após os jovens passarem pela fase de documentação, entre outras exigências. As aulas para os internos serão realizadas no campus da Coordenação de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Cecel), na Ilha do Governador.

Texto: Ascom Degase

Foto: Carlaile Rodrigues