Projeto busca capacitar jovens empreendedores e promover encontros com patrocinadores

Foto:Bruno Itan

Foto:Bruno Itan

Desde terça-feira e até quinta-feira (29/01), a sede do Rio Criativo, na Praça Onze, vem servindo de palco para a apresentação de 50 iniciativas culturais de comunidades do Rio de Janeiro, como parte da 1ª Feira Favela Criativa. O projeto, criado pela Secretaria de Estado de Cultura em parceria com Light, Programa de Eficiência Energética da ANEEL, Banco Interamericano de Desenvolvimento e Ministério da Cultura, vai oferecer recursos e capacitação a jovens empreendedores culturais dos territórios populares, nas mais diversas áreas criativas, como moda, música, mídia comunitária, literatura, artes cênicas, audiovisual, pensamento e memória, turismo e gestão cultural. A iniciativa recebeu mais de 100 inscrições. Destas, 50 foram pré-selecionadas e, ao final da Feira, 40 serão premiadas.

– Através dessa Feira, daremos início a uma série de eventos que reunirão jovens empreendedores e empresas interessadas em patrocinar projetos de favelas e demais territórios populares do estado. O agente cultural da favela sabe como é difícil montar um projeto e obter recursos para realizá-lo e sabe das dificuldades de se chegar a um patrocinador. A Feira Favela Criativa vai ser fundamental nessa interlocução – disse Eva Doris Rosental, Secretária de Estado de Cultura, durante a abertura oficial da feira, nesta terça-feira (27/01).

Nos dois dias de evento, o público poderá participar de palestras, maratonas de consultorias com o SEBRAE e encontros com patrocinadores, onde cada empreendedor terá até oito minutos para apresentar seu projeto.

– Sabemos que profissionais e alternativos quando caminham juntos geram negócios produtivos. Parabéns à organização desse programa transparente que visa valorizar o trabalho feito por essas pessoas – afirmou Rita Paes, vice-diretora do RIOSOLIDARIO.

Cada um dos 40 selecionados receberá R$ 50.000,00 da Light, através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro, para alavancar sua iniciativa, além de obter o selo Favela Criativa, uma chancela institucional a partir do qual o empreendimento passa contar com o apoio técnico e operacional para o seu desenvolvimento.

– Trabalho com um projeto no Andaraí, atendemos aproximadamente 120 crianças e jovens. Conseguir ser um dos selecionados nessa feira já é uma grande vitória, pois estamos ganhando mais visibilidade para o nosso trabalho. Se sairmos daqui vencedores, com certeza o prêmio será revertido para a melhoria de nossa infraestrutura – relatou Fabio Batista, presidente do PoDe-C, Polo de Desenvolvimento Cultural do Andaraí.

A feira terá, ainda, atividades abertas a todo o público, como palestras, oficinas e shows de funk, bailes charme e samba, ao final de cada dia. Na abertura, a diretora de conteúdo do Instituto de Desenvolvimento e Gestão, Marta Porto, e o rapper Marcelo DuGhettu fizeram apresentação sobre Economia Criativa. Nesta quarta, o encontro será sobre Formação Artística com o produtor cultural Júnior Perim e Guti Fraga, fundador da companhia teatral Nós do Morro e presidente da Funarte. Na quinta, a superintendente da Lei de Incentivo da Secretaria de Estado de Cultura, Tatiana Richard, e o gerente do Instituto Light, Paulo Bicalho, falarão sobre Fomento.