Capacitação teve o intuito de incluir no mercado de trabalho pessoas situação de vulnerabilidade social

RJ 20-12-2018. Formatura dos alunos da oficina de restauro. Desirre de Oliveira. Fotógrafo: André Gomes de Melo

 

Os 54 alunos da Oficina de Restauro, promovida pelo RioSolidario em parceria com o Senac RJ, receberam os seus certificados de conclusão nesta quinta-feira, em cerimônia realizada no Palácio Guanabara. Com duração de três meses, o curso tem o intuito de abrir as portas do mercado de trabalho para jovens e adultos em situação de vulnerabilidade social. O grupo de estudantes foi organizado em duas turmas. A primeira, com 26 alunos, era especializada em mobiliários e ficou responsável pela restauração de peças do Palácio das Laranjeiras. A segunda turma era de estofaria e contou com 34 alunos que trabalharam na renovação das cadeiras e demais estofados do Salão Nobre da sede do Governo do Estado.

Moradora de Santíssimo, na Zona Oeste da capital, Cíntia Amaral, de 24 anos, trabalhava com confeitaria antes de se inscrever no curso de mobiliário.

– Eu queria conhecer coisas diferentes e acho que o curso foi uma oportunidade mesmo. Muitas vezes me peguei pensando quando eu teria a oportunidade de fazer um trabalho que vai passar para outras gerações. Eu fiquei realmente encantada com essa área e vou me empenhar para entrar na faculdade de arquitetura e, quem sabe, conseguir trabalhar com restauro – disse a jovem.

Desiré Oliveira, de 28 anos, já se interessava pela área de restauro e estava buscando cursos que aumentassem o seu conhecimento sobre o assunto.

– Como eu estava desempregada, resolvi me dedicar ao que gosto. Este já é o meu terceiro curso com esse tema e eu quero melhorar ainda mais para entrar nesse mercado de trabalho. Eu acho que essa função de restauração é muito importante até do ponto de vista ecológico, porque você recupera aquilo que já foi construído e diminui o impacto na natureza – afirmou.

A primeira-dama e presidente de honra do RioSolidario, Maria Lucia Cautiero Horta Jardim, destacou a importância da educação na construção de uma sociedade com mais igualdade social.

– A sociedade que a gente quer é mais igualitária e só pode ser construída com conhecimento. Estou muito feliz hoje porque acho que nós demos uma oportunidade que transformou a vida de muitos jovens. Quando construímos esse curso, a gente quis ajudar a criar esse mundo melhor, mais humano e solidário.

A diretora de educação profissional do Senac RJ, Wilma Freitas, disse que os formandos já estavam incluídos no banco de oportunidades da instituição.

– Vamos ajudar a incluir esses jovens no mercado de trabalho. Estamos muito felizes por termos apoiado a realização desse sonho, que foi um belo desafio – disse.

Para a diretora do RioSolidario, Liliana Pinelli, a Oficina idealizada pela primeira-dama se encaixa no trabalho desenvolvido pelo RioSolidario na formação de mão de obra qualificada. A ementa foi pensada com o objetivo de tornar os jovens aptos a trabalharem por conta própria, em empresas que atuem com restauração de imóveis públicos ou privados ou na restauração de móveis residenciais.

– Nós identificamos que, em uma cidade com tantos prédios históricos, o trabalho de restauro é extremamente necessário e é um mercado com déficit de profissionais. Esse é um curso inovador e foi um desafio montar essas aulas, ainda mais em um campo de trabalho tão rico como os palácios – afirmou.

Cada aluno matriculado na Oficina de Restauro recebeu uma bolsa de R$ 200, além de vale-transporte, lanches e a indumentária necessária para lidar com lixas, solventes e tintas, como avental e luvas. A ideia é que, com o valor da bolsa, o aluno possa adquirir algum material e ferramentas básicas para ingressar numa profissão ou se especializar em cursos mais avançados.

Fotos: André Gomes de Melo